Quero repetir isto, com mais…Puf!!!

Neste episódio de Minutos de Ciência em Família, fizemos o que se costuma chamar, pasta dos dentes para elefante, devido à quantidade de espuma que se forma. Os reagentes são água oxigenada a 30 volumes, fermento biológico em pó, detergente de cozinha e água morna. O material pode ser qualquer copo, jarra ou mesmo garrafa de plástico e um tabuleiro para controlar os estragos (sim há alguns!!). Nós usámos o tabuleiro do forno, uma jarra, e as flute de champanhe para saírem da cristaleira e não terem uso só no Natal :).

O Gui e a Constança estão a usar bata e óculos de laboratório, não só  porque ficam super engraçados e fofinhos, mas porque durante esta demonstração podem existir derrames e salpicos e por isso devem estar protegidos. Mas tenho de concordar que ficam super engraçados!!

A Constança começou por dissolver uma saqueta de fermento biológico (levedura) em pó (compra-se em qualquer supermercado) num bocadinho de água morna, para activar o fermento (“acordar” a levedura). O Guilherme verteu a água oxigenada para o copo e adicionou corante alimentar (opcional) apenas para dar cor à espuma quando se formar. Depois adicionou a levedura activada à agua oxigenada e…

Ohh!!! Ui!! Uouu!! Impressionante tantas buolhas” (buolhas=bolhas, no norte acrescenta-se um u fazendo com que a bolha pareça maior :D. E viva o Norte! parte 2).

“Quero repetir isto com mais!! Puf!” – E eu fiz-lhe a vontade :D.

Repetimos a experiência alterando os volume de água oxigenada e a quantidade de levedura usados. Quanto mais água oxigenada e mais levedura usarmos mais espuma faz e mais rápida é a reacção. Na última experiência a espuma ficou diferente “estes têm bolhas e este não” ” porque este ficou um creminho limpinho” disse a Constança. “Este é que foi muito…”

Enfim, estereótipo ou não, em Ciência todos gostamos de uma boa explosão!

Atenção que esta reacção é exotérmica (liberta calor), portanto as crianças ao realizarem esta experiência devem ter a supervisão de um adulto.

EXPLICAÇÃO OFICIAL: O peróxido de hidrogénio vulgarmente conhecido por água oxigenada (fórmula H2O2) é a água comum com um átomo a mais de oxigénio. É uma substância instável, que liberta esse oxigénio naturalmente, transformando-se em água (fórmula H2O).

2H2O2 (aq) → 2H2O (l) + O2 (g)

Um catalisador é uma substância que acelera a velocidade de uma reacção sem ser consumido durante o seu processo. O catalisador na nossa experiência chama-se catalase e é produzida pela levedura (fermento biológico).

H2O2 (aq) + catalisador (aq) → H2O (l)+ O (aq)

Dois O  juntam-se para formar O2 (oxigénio)       O + O → O2 (g)

Resumindo, o processo de degradação do peróxido de hidrogénio em água e oxigénio é um processo que ocorre naturalmente. A catalase vai acelerar esse processo, o corante alimentar dá cor e o detergente provoca a formação de bolhas devido à libertação de oxigénio originando uma grande quantidade de espuma.

Se usarmos água oxigenada mais concentrada e iodeto de potássio como catalisador em vez de fermento biológico, teremos este efeito.

Advertisements

One Comment Add yours

  1. Regina Silva diz:

    Queremos mais puff destes😀🎉🎉

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s